O Sol Dormente e Caput Draconis
15 de Setembro de 2013
Carregar a cruz ou colher o fruto?
9 de Outubro de 2013
Mostrar tudo

Que comecem os ‘jogos’…

Quem tem vindo a seguir os meus pequenos artigos cronológicos que explicam as energias pelas quais estamos a passar à medida que saímos da era anterior (Kali Yuga) e entramos na nova era (Dwapara Yuga) percebe facilmente o título que dei ao artigo de hoje.


O descanso terminou e embora o Sol continue, física e científicamente, numa quietude alarmante a entrada do outono com o equinócio no dia 22 de Setembro apresenta já novidades energéticas.

Astrologicamente falando o que mais se nota é que Plutão sai de um caminho retrógado e começa uma viagem que tudo muda.
Na mitologia romana, Plutão ficou conhecido como deus dos mortos, capaz de crimes tão hediondos como o seu aspecto, mas com um sentido de justiça tal que nenhum ser acabado de morrer era condenado injustamente a qualquer um 9 níveis infernais.
Quando um planeta (embora muitos insistam que o já não é – no caso de Plutão) caminha de forma retrógrada é altura de interiorizar mas à medida que avança e sai do seu aparente movimento retrógrado somos impelidos à acção, a tomar uma posição e a fazer decisões. Plutão é um planeta de transformações, revelações e o seu trânsito na carta astral relativamente à Lua obriga-nos a tomar consciência de emoções profundas que julgavamos esquecidas à muito… toda a alteração desta próxima semana incidirá exactamente nestas revelações e interações intensas da nossa vida com coisas que estavam adormecidas no nosso âmago.
Esta é uma transformação que tem tudo para ser positiva, sejam quais forem as intensidade das revelações e lembranças. Todavia há um brocardo que nos avisa: isto vai ficar pior antes de ficar melhor!

É chegada a altura das primeiras decisões difíceis e não adianta estar a fugir deste facto pois energeticamente não há volta.

Temos à nossa frente o primeiro corredor da consciência de 2013. Terá de avaliar o ponto em que considera estar a sua percepção de tudo o que rodeia e afecta. Se a percepção se concentrar naquilo que assusta e é incómodo, então com facilidade entrará em processos depressivos, angústias e raivas incontroláveis. Se, por outro lado, se concentra em algo positivo, transmutável e de amor-próprio, então sentir-se-á rejuvenescido, revigorado e cheio de objectivos.
A única coisa que precisa para passar este primeiro corredor de consciência com distinção é alterar a forma como pensa. Precisa de acreditar que chegou a altura de ser diferente, de ser bem mais, de ser positivo e capaz… a perspectiva de um vencedor.
Num estado saudável de percepção do mundo e do Eu o corpo libertará endorfinas em vez de adrenalina e a sua glândula pineal (regente do terceiro olho) vibrará em frequências energéticas mais puras que estimulam o caminho.

Esta é a altura certa para fazer grelhas energéticas ou mandalas de cristais que auxiliem este processo. É a altura de se dedicar a decidir e pensar correctamente e pode conseguir clareza com o auxílio dos cristais.
Esta clareza pode ainda ser conseguida com cristaloterapia, terapias de reiki, entre outras que o equilibrem e auxiliem no auto-conhecimento… mas não faça castelos em cima de areia!

Partilhas